Digite para procurar

Mais um passense na final do Festival Nacional da Canção!

Eventos

Mais um passense na final do Festival Nacional da Canção!

Compartilhar
Backing vocal da banda Jota Quest e do programa Só toca top, da Globo, Tibless concorre com a música “Frequência”, que conta a história bem sucedida de um casal. Evento acontece em Passos, de 3 a 6 de setembro. Acesse o link, vote e prestigie os artistas da terra

Texto: Lívia Ferreira – Fotos: Divulgação

“Procurei você tal como o dial procura uma estação no rádio a sintonizar […]
Nos encontramos na mesma frequência/ Ambos estamos na mesma frequência”
A história bem sucedida do casal que “dá match” e se completa é o tom da música “Frequência”, de autoria do cantor Tibless. E foi ela, carregada de influências da soul music, que o levou a chegar à final do Festival Nacional da Canção, que acontece de forma híbrida em Passos entre os dias 3 e 6 de setembro.
“Frequência” estreou no festival. Estava guardada. É uma das novas composições de Tibless e seria lançada junto com outras do seu novo álbum. O cantor resolveu arriscar e virou finalista na sua primeira incursão no festival. Tibless é o segundo passense a chegar à final desta edição do festival. A jovem Luísa Arantes, de apenas 14 anos, também está concorrendo.

Jota Quest
Se você curte Jota Quest, também curte o Tibless. É dele, desde 2013, um dos backing vocals masculinos poderosos que encorpam as canções da banda mineira. São dele também as músicas Sendo assim, A vida e outras histórias (em parceria com Marco Túlio Lara e Leoni)  e Fique bem (esta última, inédita), gravadas pelos rapazes  do Jota. Versátil, Tibless ainda fazia parte de outro projeto bacana: o programa Só toca top, da Rede Globo, suspenso em razão da pandemia do coronavírus.

Soltando a voz no show da banda Jota Quest

Jornada
De família evangélica e musical, natural de Passos – ele vive em São Paulo (SP), mas vem direto ver a família –,Tibless cantava na igreja. A influência vinha sobretudo do primo Thalles Roberto, que mais tarde viria a se tornar referência na música gospel e hoje segue carreira internacional. “O Thalles me inspirou muito”, reconhece.

Tiago + Bless
Aos 16 anos – hoje Tibless tem 38 – decidiu ir tentar a vida em São Paulo, onde cursou Direito – mesma profissão do pai. A ideia era cantar na igreja. Montou a banda Bless (bênção, em inglês). Não demorou muito para o “Tiago da banda Bless” virar “Tibless”. Thalles, que já estava em Belo Horizonte, fez passagem pela música secular, tornando-se backing vocal do Jota Quest.

Com o pai, o advogado Ronaldo Machado, e os filhos Ben e Ivy Bless

Vanessa da Mata
Seguindo os passos do primo, Tibless também virou backing, mas da cantora Vanessa da Mata, com quem cantou dois anos. Vanessa fez alterações na banda, extinguiu a percussão e os backings e Tibless seguiu carreira-solo de 2009 a 2013. Neste período, lançou os álbuns rock samba style à frente da banda  Vitrolla 70  e Afro-beat-ado em carreira solo.

Thalles, que já havia deixado o Jota Quest em 2007, apresentou Tibless aos rapazes da banda. “Ele me apresentou de tanto eu insistir”, diverte-se.

Rock in Rio
Em 2013, o Jota chamou Tibless para a vaga de backing. Sem estágio, sem teste, sem burocracia, o passense estreou na banda em setembro de 2013, cantando no Palco Mundo do Rock in Rio. Está com eles até hoje, embora os encontros sejam mais esparsos por conta da pandemia.

Comemorando o aniversário de Ben com a esposa Tássia e a filha Ivy Bless

Aprendizado
Pouco setores no mundo foram tão impactados com a disseminação do coronavírus quanto o de eventos. Shows deram lugar a lives, e vibração diante das músicas hoje tem uma tela como interface. Tibless não parou, embora o impacto financeiro tenha sido inevitável.
Aprendeu a tocar teclado, fez lives, compôs, lançou álbum, criou trilhas e jingles em seu home studio.
A correria insana do mundo pré-pandêmico foi substituída por um ritmo de vida mais cadenciado, maior tempo com a esposa Tássia, os filhos Ben e Ivy Bless e, especialmente, pela reflexão sobre o que vale a pena. “A gente aprende a se analisar melhor. Esta doença não tem cor, não tem classe social. É uma oportunidade incrível para desfazer intrigas, rusgas”, analisa.

Bora votar?
Agora que você já conhece um pouco da história o Tibless, tá na hora de votar. Aproveite para curtir a vibe positiva de “Frequência”. É só clicar aqui!

Tags:

Você também deve gostar

1 comentário

  1. Dora Maciel 18 de agosto de 2021

    Boa sorte

    Responder

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *