Digite para procurar

Solidariedade: professores dão aulas gratuitas de karatê

Educação

Solidariedade: professores dão aulas gratuitas de karatê

Compartilhar

Com apoio de empresas privadas, Projeto Abraço ensina arte marcial e distribui cestas básicas aos alunos carentes

Texto: Pedro Freitas

Edição: Lívia Ferreira

Fotos: Divulgação

Jovem de origem humilde, Flávio Henrique de Faria, 16 anos, perdeu a mão ainda criança em um acidente doméstico. Foi nas artes marciais que encontrou forças para recomeçar. Hoje é faixa marrom e medalhista internacional. Por conta de seus inúmeros títulos em campeonatos de alto nível, o jovem conseguiu uma bolsa no colégio Del Rey e agora direciona seus estudos para ingressar no ensino superior.
Flavinho, como é conhecido, é um exemplo de como o esporte e o acolhimento emocional podem mudar a vida de uma pessoa. Ele é um dos alunos do Projeto Abraço, programa criado em Passos por dois professores que, com apoio da iniciativa privada, oferece aulas gratuitas de karatê a alunos da cidade.

 

Flavinho perdeu a mão em um acidente doméstico. Hoje é medalhista internacional de karatê

Os senseis Átila Fandiño e Reinaldo Alves Nascimento estão à frente do projeto. O karatê foi escolhido como o caminho pelos valores que cultiva. “São os que entendemos que poderão contribuir para a construção de uma sociedade mais justa: respeito, humildade, perseverança, equilíbrio, coragem, disciplina, dedicação e liderança”, explica Reinaldo.

Como funciona
Com a eclosão da pandemia do novo coronavírus, em 2020, o Projeto Abraço se tornou ainda mais relevante. Isto porque a maioria das escolas públicas, onde os caratecas do projeto estudam, não disponibiliza aulas remotas com interação, mesmo que virtual, entre aluno e professor. Isto provoca efeitos negativos na vida das crianças, que acabam ficando sem rotina ou referencial de normalidade.
“Entendemos que a contribuição à vida dessas crianças por meio do karatê cresceu exponencialmente”, avalia sensei Átila. Ele cita que estudo chinês feito com 320 crianças e publicado pela revista Saúde, da Editora Abril, apontou como efeitos imediatos do isolamento social a dependência excessiva dos pais, desatenção, preocupação, problemas relacionados ao sono, falta de apetite, pesadelos, desconforto e agitação.
Além de ajudar do ponto de vista psicológico, o projeto se preocupa também com a segurança alimentar das famílias. Por isto, fornece cestas básicas para os alunos caratecas em situação de vulnerabilidade social. As doações serão retomadas a partir deste mês e toda ajuda é bem-vinda.

Reinaldo e Átila dão aulas gratuitas de karatê no Projeto Abraço

Aulas na pandemia
Por conta da necessidade do distanciamento social, Átila e Reinaldo tiveram que adaptar o karatê ao ensino a distância. “Optamos por não abrir mão dos horários. Temos uma rotina semanal de 3 treinos: segunda, quarta e sexta, sempre às 19 horas”, explica Átila.
As aulas são por meio do aplicativo Google Meet, que permite interação entre alunos e professores. Para o treino das técnicas de combate são necessárias duas pessoas. Neste ponto, o projeto teve de remodelar o enfoque da aula, enfatizando o engrandecimento físico e mental. Na prática o contato físico é substituído pelos ensinamentos que as artes marciais propõem.
Os testes também são virtuais. Por causa da pandemia, os campeonatos de karatê foram cancelados. Em 2020 foi possível realizar o exame para troca de faixa, o teste virtual foi mais criterioso e deu resultado: vários alunos foram aprovados e receberam uma nova graduação: a faixa amarela.

 

Durante a pandemia, os treinos estão acontecendo por meio do Google Meet

Como é mantido?
“Somos a união de várias pessoas com um propósito em comum: abraçar a causa. O projeto conta com uma equipe multidisciplinar que inclui professores, gestores, contadores, RH e marketing, entre outros”, diz Reinaldo.
O Projeto Abraço recebe apoio logístico/financeiro de nove empresas passenses: Colégio Del Rey; Pacheco Consultoria Empresarial; Plenus Contabilidade; Bendito Casarão; Clínica de Vacinas Imunix; Barbosa Distribuição; Distribuidora Santa Catarina; Habib’s e MG Negócios Imobiliários. Sem ajuda da iniciativa privada, seria inviável levar o projeto adiante.

 

Projeto Abraço conta com nove empresas colaboradoras e está aberto a novas parcerias

Mudanças positivas
As alterações no comportamento dos caratecas são nítidas: em casa, com os pais, durante as aulas, entre eles mesmos. Todos dias os professores do projeto recebem relatos dos pais satisfeitos com a mudança das crianças.
Elas quase nunca faltam às aulas de karatê, mesmo na modalidade on-line. A média de frequência da turma toda é de cerca de 90%.

Como participar?
O projeto é aberto a todas as idades. Para participar, basta entrar em contato por meio do @karate.projetoabraço no Instagram ou pelo telefone/WhatsApp do sensei Átila (35 98855 9483) e preencher um cadastro virtual. Em seguida o candidato é adicionado ao grupo do projeto no WhatsApp, por onde recebe as instruções sobre como praticar karatê. “Meu conselho para os jovens de Passos é que ingressem nas artes marciais. É muito enriquecedor, tanto física quanto espiritualmente”, sugere Átila.

Quer ajudar?
Qualquer pessoa ou empresa pode se tornar uma patrocinadora do projeto. Basta entrar em contato com algum responsável e apresentar a proposta de parceria. Os recursos financeiros são gerenciados por uma equipe de contabilidade que ajuda o Projeto Abraço. Pessoas físicas também podem contribuir com a doação de cestas básicas. É só acessar o Instagram do projeto ou chamar o sensei Átila via WhatsApp.

 

A equipe técnica é formada por representantes das empresas parceiras

Tags:

3 Comentários

  1. Manuella Silva Azevedo 19 de maio de 2021

    Gostaria de participar das aulas

    Responder
    1. verboaria 19 de maio de 2021

      Olá. Tudo bem? Na própria matéria você encontra o Instagram e o WhatsApp para participar gratuitamente! Boa sorte!

    2. Lívia Ferreira 19 de maio de 2021

      Olá! Na matéria estão o whatsapp e o Instagram do projeto. É só chamar que eles te respondem. Boa sorte!

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *